Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Zibaldone

Zibaldone

29
Out16

A guarda pretoriana

Francisco Freima

soldados do RSP.jpgA última tentativa de golpe no Burkina Faso, levada a efeito por antigos elementos do RSP (Régiment de Sécurité Présidentielle), mostrou a necessidade de se aprofundar a democracia naquele país. O RSP era a guarda pretoriana do ditador Blaise Compaoré, deposto em 2014 após uma insurreição popular contra a sua cleptocracia.

 

Em 2015, o Governo Provisório, liderado por Michel Kafando, já havia sido alvo de uma conspiração do RSP. Independente do exército, este regimento respondia directamente a Compaoré, pelo que a sua margem de actuação era muito ampla. Criado em 1987, o RSP consolidou a ditadura e teve um papel importante no fuzilamento sumário de inúmeros apoiantes de Thomas Sankara, o presidente deposto por Blaise Compaoré. À frente desta unidade estava Gilbert Diendéré, o homem encarregado de liquidar a oposição nos anos seguintes. Voltando a 1987, foram subordinados de Diendéré que assassinaram Sankara, promovendo a sua ascensão a comandante de um exército privado que dependia unicamente de Compaoré. Quando este último foi deposto, o Governo Provisório decidiu extinguir o RSP, por ver nele uma ameaça à democracia. No entanto, o «espírito de corpo» precipitou os eventos, levando Diendéré a tomar o poder a 16 de Setembro de 2015. Sendo um exército privado, o RSP não podia rivalizar com o poder do exército nacional, apoiante do Governo Provisório. Cedo começaram as rebeliões contra a nova ordem, que mergulhou o país no caos e forçou Diendéré a negociar a sua retirada passados seis dias, a 22. A reposição da ordem, com a recondução de Kafando na presidência interina, levou à dissolução do RSP no dia 25 de Setembro. A 29 de Novembro realizaram-se eleições, das quais Roch Marc Kaboré saiu como o grande vencedor. 

 

Apesar do desmembramento do RSP, a recente tentativa de golpe (marcada para o dia 8 de Outubro) sugere que não foram cortadas todas as cabeças da hidra contra-revolucionária. Cabe às autoridades, através do seu exemplo, reforçarem a legitimidade do sistema democrático. 

Antiguidades

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Bloguista

foto do autor