Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zibaldone

Zibaldone

06
Mai17

#FreeDawitIsaak

Francisco Freima

Dawit Isaak Guillermo Cano Prize.jpgNo dia 3 de Maio, em Jacarta, a UNESCO atribuiu o Prémio Guillermo Cano a Dawit Isaak. Embora seja uma atitude louvável, não podemos ficar por aqui, tendo a ONU dado novo passo ao pedir a sua libertação. Volto a repetir a história: Dawit encontra-se preso desde 2001 e ninguém sabe nada dele. O crime deste jornalista foi ter publicado uma série de artigos incómodos para o ditador da Eritreia, Isaias Afewerki.

 

Os Repórteres Sem Fronteiras lançaram uma nova petição dirigida a Afewerki. Fica o texto (a tradução é minha, por isso talvez seja melhor ler o original):

 

Senhor Presidente,

 

Em Setembro de 2001, o seu regime aprisionou onze jornalistas e acabou com a imprensa independente na Eritreia. Entre eles estava Dawit Isaak, chefe de redacção do jornal Setit e cidadão sueco-eritreu.

 

Desde então, Dawit nunca foi formalmente acusado de nada, nunca foi presente a um juiz e nunca teve direito a um advogado. Ainda assim, ele continua detido.

 

Os Repórteres Sem Fronteiras (RSF) têm hoje informações que apontam para a morte de sete colegas detidos com Dawit em Setembro de 2001. Contrariamente às afirmações do seu regime, nós não temos nenhuma prova de vida no que respeita a Dawit. A última remonta a 2010: trata-se do testemunho de um guarda prisional, que o descreveu como estando algemado e mantido em isolamento sob temperaturas infernais.

 

Se ainda estiver vivo, conforme o senhor alega, ele arrisca-se a morrer na prisão, à semelhança dos seus colegas.

 

No passado, o seu governo afirmou diante da Comissão Africana dos Direitos Humanos e dos Povos que o vosso sistema judiciário era independente e tinha capacidade para julgar o caso de Dawit Isaak.  Afirmou igualmente que os preceitos legais na Eritreia permitiam a protecção contra detenções e prisões arbitrárias. Ora, até hoje, nem ele, nem nenhum outro jornalista pôde comparecer em tribunal.

 

Não se trata de ingerência, mas de apelar a que sejam respeitadas as leis e os princípios do seu próprio país!

 

É urgente agir para que Dawit Isaak, bem como todos os jornalistas detidos na Eritreia, seja libertado.

 

Quem quiser, assine e partilhe pelo maior número de gente possível. As vozes livres do mundo jamais serão silenciadas por ditadores.

 

Jornalistas portugueses, acordem para a vida: este é um dos vossos!

5 comentários

Comentar post

Antiguidades

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Bloguista

foto do autor