Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Zibaldone

Zibaldone

01
Ago16

S' Vetrom uz Lice

Francisco Freima

Para mim, os Ekatarina Velika foram a melhor banda de todos os tempos. Basta olharmos para o contexto em que criaram as suas músicas e percebemos isso: vivendo num regime ditatorial, com o país a resvalar para uma crise que degeneraria na Guerra dos Balcãs, os EKV mantiveram a sua toada de êxitos, inspirando a juventude nesses tempos sombrios. 

 

Para esse sucesso, muito contribuiria o terceiro álbum, S' Vetrom uz Lice (Com o Rosto Contra o Vento). É literalmente impossível destacar três músicas deste trabalho. Todas elas são excelentes, da primeira à última todas retratam os anseios, as conquistas e os receios da juventude jugoslava. Talvez por isso, S' Vetrom uz Lice é considerado por muitos o seu melhor álbum e talvez por isso eu seja um sortudo por ter este vinil em casa.

 

Como gosto de todas as músicas, a avaliação das minhas três preferidas resultará bastante mais subjectiva. Assim, escolho Budi Sam na Ulici (Sozinho na Rua), Kao da je Bilo Nekad (Como Foi em Tempos) e Umorna Pesma (Canção do Cansaço). A primeira é algo irónica, começa por falar na necessidade que o autor tem de um mundo onde diferentes perspectivas possam viver em harmonia, ou de um quarto que albergue cinco mil pessoas com os copos erguidos. A imagem mais bonita é dada logo a seguir: os estilhaços dos copos no brinde da multidão e cada um a seguir na sua própria direcção, com gelo nos corações e indiferença no olhar. O ponto alto chega quando Milan repete o refrão na última parte, exortando os ouvintes a ficarem sozinhos na rua, a desligarem-se das coisas mundanas. Sobre Kao da je Bilo Nekad, posso dizer que tem uma sonoridade oriental e que tem como tema as férias de Verão. O retrato feito nela poderia ser o de qualquer estância balnear, onde a vida decorre sem grandes preocupações, trocando os veraneantes a noite pelo dia e o dia pela noite. A Umorna Pesma é uma música triste, a música triste mais bela que o rock alguma vez produziu. Aborda o cansaço da vida, falando da situação indefinida de alguém que está prestes a desistir de tudo. 

 

Sem dúvida, um dos melhores álbuns de todos os tempos.

Antiguidades

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Bloguista

foto do autor