Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Zibaldone

Zibaldone

20
Mai16

Tabaco

Francisco Freima

Tabaco.jpgNem de propósito, ainda ontem escrevi sobre o liberalismo e hoje entraram em vigor as imagens chocantes nos maços de tabaco. Cortesia do anterior Governo, pejado de putativos liberais que trocaram a sua liberdade pela opressão da UE, e que se defenderam com a realidade «chocante». À época, o PS falou em bullying psicológico, pelo que fico na expectativa sobre se irão avançar com a alteração desta lei absurda.

 

Neste assunto, sou insuspeito. Não fumo, não pertenço a nenhuma tabaqueira nem a nenhum movimento anti-tabaco. Pertenço àquela minoria de pessoas sensatas que respeitam a liberdade de cada um, desde que a mesma não interfira com a nossa. Se isso acontecia com o fumo nos espaços públicos fechados, agora é perseguição. O Estado assume a figura de pai omnipotente, pois onde quer que esteja alguém a comprar um maço, lá estarão os estridentes avisos do papá.

 

O argumento de que as imagens são dissuasoras do consumo é ridículo. Então as tabaqueiras pagam impostos, o tabaco é legal e depois vêem o seu produto discriminado? Em matéria publicitária, a hipocrisia mata: enquanto o álcool fica-se por uns avisos discretos nos anúncios, as tabaqueiras nem sequer podem ter um «fume com moderação» no ar. Para quando os rótulos nas garrafas de bebidas alcoólicas com imagens de fígados destruídos ou de situações de violência doméstica instiladas pelo «mau vinho»?

 

Se a estupidez pagasse imposto, estou em crer que o Estado seria o seu maior contribuinte – além de proibir a publicidade, dedica-se a desmantelar um sector que rende bastante dinheiro. Mas a maior hipocrisia radica na diferença de tratamento entre as indústrias tabaqueira e automóvel. A quantidade de poluentes libertados pelos veículos é infinitamente superior àquela expirada pelos fumadores. Ainda assim, ninguém no seu perfeito juízo irá encostar os carros movidos a combustíveis fósseis... se fossem coerentes, os carros (já de si um invólucro) ostentariam pinturas chocantes ou frases do estilo «a gasolina produz gases que destroem a camada de ozono» ou «conduzir mata». Até porque os números da sinistralidade rodoviária superam largamente os das mortes por doenças associadas ao tabagismo...

Antiguidades

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Bloguista

foto do autor