Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zibaldone

Zibaldone

06
Mai16

Um ensino, dois sistemas

Francisco Freima

Foto de Carlos Barroso.jpgO protesto das escolas com contratos de associação é representativo da mentalidade portuguesa. Nas declarações dos pais e dos autarcas perpassa o preconceito ideológico contra a escola pública. Por exemplo, na TVI ouvi uma mãe dizer que aqui «não existem grandes escolas», referindo o ensino de excelência dos colégios, espelhado nos rankings... Em Santa Maria da Feira, vemos o resultado destas políticas: as escolas públicas têm capacidade para receber os alunos que estão no privado. Porém, o Colégio de Santa Maria de Lamas quer manter a renda que recebe do Estado – o típico «empreendedorismo» à portuguesa... Ora o Estado não tem de financiar o sector privado, muito menos quando existem escolas públicas ao lado que podem receber esses alunos. Isto é tão absurdo que qualquer dia as escolas públicas começam a cobrar dinheiro, não?

 

O que está aqui em causa é a nossa mentalidade. O Português adora as aparências, calha bem dizer que temos um filho num colégio privado. Ainda que esse colégio seja financiado por todos nós. Que eu saiba, Portugal ainda não é a China para termos «um país, dois sistemas». O argumento do «ensino de excelência» também não me comove: a ser verdade, aumenta a desigualdade entre alunos do público e do privado. Além de ser injusto para as famílias que pagam o suposto ensino de qualidade enquanto os seus filhos (ou enteados?) andam na escola pública.

 

Por último, nada me move contra o ensino privado. Eu próprio andei num colégio privado durante dois anos. Agora, se as famílias não têm dinheiro para pagá-lo, não pode ser o Estado a financiá-lo. Existem alternativas, as escolas públicas estão a perder alunos para a concorrência desleal dos privados. O pretexto da qualidade também é fraco: eu estive dez anos na escola pública, frequentei universidades públicas e não morri. Um bom aluno será sempre bom, quer ande no público ou no privado. Está na hora de os Portugueses ligarem menos ao estatuto e mais ao ensino público.

19 comentários

Comentar post

Antiguidades

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Bloguista

foto do autor